Quarta-feira, 19 de  setembro de 2018
Weber comemora normativa que libera venda de produtos de agroindústrias em todo o RS

 

Relator da Subcomissão das Agroindústrias Familiares da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Elton Weber avalia que a partir da assinatura, nesta quinta-feira (13), da Instrução Normativa nº 10/2018, as agroindústrias poderão, finalmente, expandir seu comércio, uma luta de anos do movimento sindical ligado à Fetag-RS.  Pela normativa, que trata da adesão dos municípios gaúchos ao Sistema Unificado Estadual de Atenção a Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte - SUSAF, a partir de agora as prefeituras poderão aderir ao SUSAF Simplificado, dando o direito às agroindústrias de venderem em todo Estado com o Sistema de Inspeção Municipal (SIM).

 

 

Esse era o principal objetivo da Subcomissão criada em 2017 e que durante os seus trabalhos ouviu 1,5 mil pessoas em audiências no Interior e na Capital. O relatório final apontou 34 recomendações no sentido de viabilizar a continuidade ou abertura de empreendimentos familiares ou artesanais. "Era um regramento descabido, que freava o crescimento e causava desestímulo. Hoje, há pelo menos um jovem em 80% das propriedades rurais que têm uma agroindústria em funcionamento, então teremos reflexo na sucessão rural", afirma Weber.

 

De acordo com o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, a normativa, uma construção coletiva, significa um salto para a ampliação de produção e desenvolvimento de empreendimentos. "Passamos anos esperando por este dia, pois não era justo os produtos de tamanha qualidade não serem vendidos em municípios vizinhos ou no Estado. Agora, temos a certeza que muitas famílias permanecerão no campo, continuarão produzindo e industrializando alimentos e tendo mais uma fonte de renda, fator que determinará também permanência de muitos jovens no campo.”

 

Escrito por Patricia Cardoso | Foto: Alexandre Scheifler 

As dificuldades na área da nefrologia  pautaram reunião da FrenNefro

Os entraves no tratamento dos pacientes renais e as dificuldades no atendimento nefrológico no Estado foram alguns dos temas debatidos por especialistas da área, durante o evento denominado “Dia D da Diálise”, promovido pela presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Nefrologia Gaúcha (FrenNefro), deputada Liziane Bayer (PSB), nesta tarde (29), na Alergs.

 

Ainda entre os assuntos tratados, o subfinanciamento do sistema de atendimento renal, a desassistência dos pacientes que aguardam vagas para internação e a dificuldade em conseguir medicamentos. “Sei, por conta da convivência pessoal, das dificuldades que os pacientes renais enfrentam no dia a dia. Por isso, esse tema é uma frente de luta do meu mandato, ao qual defendo e trabalho na busca de resultados que colaborem para garantir melhorias no setor”, destacou Liziane, que também é autora da lei que institui o Dia do Rim e a Semana Estadual de Prevenção das Doenças Renais, realizando campanhas em prol dos pacientes renais, através do mandato.

 

 

Faltam recursos

“Não há fila de espera para diálise ou hemodiálise, pois quem não tiver acesso ao tratamento não vai sobreviver. Então, a única escolha é lutar por todas essas vidas”, destacou, em sua fala, a diretora do Simers Gisele Lobato. Para ela, a situação é fruto de 14 anos de verbas congeladas na área. O subfinanciamento também balizou a fala do nefrologista João Carlos Biernat. De acordo com ele, a perspectiva é que as clínicas deixem de atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou acabem fechando as portas – ainda que nenhuma das alternativas seja vista como ideal.

 

A presidente da Sociedade Gaúcha de Nefrologia, Miriam Gomes, trouxe o panorama que se apresenta com a Portaria 1.675/2018. Em vigor desde junho, ela propõe uma série de mudanças no modo como o atendimento ao paciente que precisa de TRS é feito. “O texto proposto é muito bonito, mas faltou diálogo com aqueles que vivem essa realidade”, ponderou.

 

Já o médico Valter Duro Garcia mostrou um pouco do funcionamento da área de transplante renal no Rio Grande do Sul. Trata-se de uma alternativa que representa mais qualidade de vida ao paciente, mas que ainda carece de atenção e, novamente, financiamento. A mesa de debates contou com a participação da presidente da Sociedade Gaúcha de Nefrologia (SGN), dra. Miriam Gressler Gomes; da diretora do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), dra. Gisele Lobato; dr. Valter Duro e dr. João Biernat.

 

Texto: Kátia Fantin - MTE 19064- Foto: Elaine Martins

Com o apoio da Bancada do PSB, plenário deve votar Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca

 

A prefeita de São José do Norte, Fabiany Zogbi Roing, esteve na bancada do PSB, nesta terça-feira (21) liderando uma comitiva de pescadores do município e Região. Fabiany veio pedir o apoio dos deputados socialista para incluir e aprovar o Projeto de Lei 136/2018, do poder Executivo, que institui a Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e cria o fundo Estadual de Pesca, na ordem do dia. O coordenador da Bancada, Mário Bruck, garantiu a apoio da bancada que votará a favor do projeto. 

A criação da Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca no Estado do Rio Grande do Sul atende a uma reivindicação apresentada pelo conjunto do setor produtivo da pesca gaúcha, com apoio de universidades, representações da sociedade civil organizada e técnicos de órgãos governamentais que atuam com a pesca no Estado do Rio Grande do Sul.

 

Textoe foto: Fabiana Calçada

 

Liziane Bayer faz homenagem ao Ministério Mulheres Que Vencem, da Igreja Internacional Graça de Deus

 

A deputada Liziane Bayer (PSB) dedicou o Grande Expediente Especial desta quinta-feira (9) ao Ministério Mulheres que Vencem, espaço feminino da Igreja Internacional da Graça de Deus ao qual é vinculada pelo trabalho espiritual e social. A organização reúne 73 mil mulheres no país, dez mil no Rio Grande do Sul, “voltadas para a edificação do Corpo de Cristo, vivendo a plena vontade de Deus e atuando para desenvolver a autoestima, curar feridas emocionais, resgatar princípios da família e valorizar a fé”, conforme destacou da tribuna.

 

Grata pelo mandato parlamentar, conquistado “pelo carinho de milhares de mulheres gaúchas, a maior parte delas irmãs em Cristo, que me honraram com seu voto livre e democrático”, Liziane Bayer referiu a votação recebida, 29.121 votos, e seu empenho para bem representar essa parcela dos eleitores. Ela não concorre à reeleição em outubro. E dedicou o discurso para “reconhecer o valor do Ministério Mulheres Que Vencem”, organizadas em todo o país e irmanadas na fé.

 

Contou que o Ministério surgiu pela união das mulheres da Igreja, em reuniões no Rio de Janeiro denominadas Mulheres Que Vencem, com o propósito de louvor e adoração a Deus. Ela participou de algumas dessas reuniões. Mais tarde, em Curitiba, ao lado do esposo, que é pastor, reuniu mulheres para “discutirmos a melhor forma de cumprirmos a Palavra de Deus e influirmos não só dentro da Igreja, mas também fora dela, enquanto cidadãs”. Em 2011, em Porto Alegre, com apoio da mãe, que também é pastora, repetiu a experiência do Paraná e reuniu 1.500 mulheres, movimento que alcançou também o interior. Agora, na condição de Ministério da Igreja da Graça, a deputada foi designada dirigente nacional do movimento de mulheres. Bayer referiu da tribuna cada uma das 27 mulheres responsáveis pelas direções estaduais do Ministério.

 

Orientação bíblica

Nessa condição, destacou um dos Provérbios que inspiram o grupo: “Reveste-se de força e dignidade, sorri diante do futuro. Fala com sabedoria e ensina com amor”. A partir da orientação bíblica a deputada definiu a mulher que vence, “é forte, seguindo a Palavra de Deus terá força para desempenhar as múltiplas funções do seu dia a dia, saberá ser mulher, esposa, mãe e profissional sem perder a feminilidade e a delicadeza próprias da sua condição feminina”. Será respeitada “porque tem equilíbrio, sabedoria, moderação, sobriedade, sendo um bom testemunho para a sua sociedade”, dizendo ainda que “sorri diante do futuro por não temer o dia de amanhã, na plena convicção de que alicerçada na Palavra, sua vida está nas mãos de Deus e ele proverá seu presente e seu futuro”.

 

O modelo da mulher que vence está no mesmo espírito da Rainha Ester, conforme descreve a Bíblia Sagrada, que foi destemida e correndo o risco de morte enfrentou o Rei Assuero para defender o seu povo. “O Brasil está precisando de novas Ester”, afirmou, “unidas e na batalha com orações, petições, interseções, clamores e louvores ao Reino de Deus”, alcançando vitórias pela atuação na sua dimensão espiritual. Na dimensão humana, às mulheres cabe interferir na comunidade para ajudar, discutir, integrar partido político, votar e ser votada, respeitando os preceitos familiares e ocupando espaços de poder, “uma mulher de seu tempo, sem perder a sua feminilidade”, continuou.

 

Manifestou-se honrada por assumir a liderança nacional do Ministério e antecipou o compromisso em contribuir para a superação dos graves problemas que afligem o país, “quer pela oração, quer pela participação efetiva e ativa na vida da população brasileira”. A luta terá os homens como parceiros e não como adversários, pois “Deus nos criou a ambos como joias da sua criação”, pregando a unidade de ação em favor dos semelhantes. Finalizou agradecendo ao Missionário RR Soares; às companheiras de ministério; à sua mãe, Pastora Neloci; aos servidores do Legislativo e do seu gabinete parlamentar.

 

Apartes

Em apartes, manifestaram-se os deputados Missionário Volnei (PR); Frederico Antunes (PP); Elton Weber (PSB); Maurício Dziedricki (PTB); e Tiago Simon (MDB).

 

Fonte: Agência de Notícias

Liziane Bayer faz homenagem ao Ministério Mulheres Que Vencem, da Igreja Internacional Graça de Deus

 

A deputada Liziane Bayer (PSB) dedicou o Grande Expediente Especial desta quinta-feira (9) ao Ministério Mulheres que Vencem, espaço feminino da Igreja Internacional da Graça de Deus ao qual é vinculada pelo trabalho espiritual e social. A organização reúne 73 mil mulheres no país, dez mil no Rio Grande do Sul, “voltadas para a edificação do Corpo de Cristo, vivendo a plena vontade de Deus e atuando para desenvolver a autoestima, curar feridas emocionais, resgatar princípios da família e valorizar a fé”, conforme destacou da tribuna.

 

Grata pelo mandato parlamentar, conquistado “pelo carinho de milhares de mulheres gaúchas, a maior parte delas irmãs em Cristo, que me honraram com seu voto livre e democrático”, Liziane Bayer referiu a votação recebida, 29.121 votos, e seu empenho para bem representar essa parcela dos eleitores. Ela não concorre à reeleição em outubro. E dedicou o discurso para “reconhecer o valor do Ministério Mulheres Que Vencem”, organizadas em todo o país e irmanadas na fé.

 

Contou que o Ministério surgiu pela união das mulheres da Igreja, em reuniões no Rio de Janeiro denominadas Mulheres Que Vencem, com o propósito de louvor e adoração a Deus. Ela participou de algumas dessas reuniões. Mais tarde, em Curitiba, ao lado do esposo, que é pastor, reuniu mulheres para “discutirmos a melhor forma de cumprirmos a Palavra de Deus e influirmos não só dentro da Igreja, mas também fora dela, enquanto cidadãs”. Em 2011, em Porto Alegre, com apoio da mãe, que também é pastora, repetiu a experiência do Paraná e reuniu 1.500 mulheres, movimento que alcançou também o interior. Agora, na condição de Ministério da Igreja da Graça, a deputada foi designada dirigente nacional do movimento de mulheres. Bayer referiu da tribuna cada uma das 27 mulheres responsáveis pelas direções estaduais do Ministério.

 

Orientação bíblica

Nessa condição, destacou um dos Provérbios que inspiram o grupo: “Reveste-se de força e dignidade, sorri diante do futuro. Fala com sabedoria e ensina com amor”. A partir da orientação bíblica a deputada definiu a mulher que vence, “é forte, seguindo a Palavra de Deus terá força para desempenhar as múltiplas funções do seu dia a dia, saberá ser mulher, esposa, mãe e profissional sem perder a feminilidade e a delicadeza próprias da sua condição feminina”. Será respeitada “porque tem equilíbrio, sabedoria, moderação, sobriedade, sendo um bom testemunho para a sua sociedade”, dizendo ainda que “sorri diante do futuro por não temer o dia de amanhã, na plena convicção de que alicerçada na Palavra, sua vida está nas mãos de Deus e ele proverá seu presente e seu futuro”.

 

O modelo da mulher que vence está no mesmo espírito da Rainha Ester, conforme descreve a Bíblia Sagrada, que foi destemida e correndo o risco de morte enfrentou o Rei Assuero para defender o seu povo. “O Brasil está precisando de novas Ester”, afirmou, “unidas e na batalha com orações, petições, interseções, clamores e louvores ao Reino de Deus”, alcançando vitórias pela atuação na sua dimensão espiritual. Na dimensão humana, às mulheres cabe interferir na comunidade para ajudar, discutir, integrar partido político, votar e ser votada, respeitando os preceitos familiares e ocupando espaços de poder, “uma mulher de seu tempo, sem perder a sua feminilidade”, continuou.

 

Manifestou-se honrada por assumir a liderança nacional do Ministério e antecipou o compromisso em contribuir para a superação dos graves problemas que afligem o país, “quer pela oração, quer pela participação efetiva e ativa na vida da população brasileira”. A luta terá os homens como parceiros e não como adversários, pois “Deus nos criou a ambos como joias da sua criação”, pregando a unidade de ação em favor dos semelhantes. Finalizou agradecendo ao Missionário RR Soares; às companheiras de ministério; à sua mãe, Pastora Neloci; aos servidores do Legislativo e do seu gabinete parlamentar.

 

Apartes

Em apartes, manifestaram-se os deputados Missionário Volnei (PR); Frederico Antunes (PP); Elton Weber (PSB); Maurício Dziedricki (PTB); e Tiago Simon (MDB).

 

Fonte: Agência de Notícias

Deputada Liziane integra Comissão que responde  pela AL durante o recesso parlamentar

 

A líder da bancada do PSB, deputada Liziane Bayer, integra a Comissão Representativa que, a partir desta terça-feira, responde pela Assembleia Legislativa até o final do recesso parlamentar no dia 31 de julho. O expediente é previsto pela Constituição Estadual e regulamentado pelo Regimento Interno da AL.

A composição do grupo foi definida ainda no ano passado, com a aprovação do RDI 202 2017. O mesmo grupo já atuou em nome da Assembleia durante o recesso parlamentar de 23 de dezembro de 2017 a 31 de janeiro de 2018. Na última sessão deliberativa do semestre, na terça-feira (10), o presidente da Casa, deputado Marlon Santos (PDT), leu a composição da Comissão Representativa.

 

 

Atribuições

A comissão poderá ser convocada pelo presidente da Casa, que preside a Comissão Representativa, ou por um terço dos seus integrantes, para atender a qualquer atividade extraordinária que possa surgir no período.

 

Entre as suas atribuições, está a de autorizar o governador ou o vice-governador a afastar-se do Estado, decidir sobre licenças dos deputados e convocar, com o voto da maioria dos membros, secretários para prestarem esclarecimentos sobre assuntos relacionados à respectiva pasta.

 

Comissão Representativa

 

Titulares

 

Deputado Tarcísio Zimmerman (PT)

Deputado Nelsinho Metalúrgico (PT)   

Deputado Vilmar Zanchin (MDB)        

Deputado João Fischer (PP)                     

Deputado Ronaldo Santini (PTB)            

Deputado Adilson Troca (PSDB)             

Deputada Liziane Bayer (PSB)                 

Deputado Juliano Roso (PCdoB)             

Deputado Pedro Ruas (PSOL)                 

Suplentes

 

Deputada Stela Farias (PT)

Deputado Adão Vilaverde (PT)

Deputado Gabriel Souza (MDB)

Deputado Ciro Simoni (PDT)

Deputado Adolfo Brito (PP)

Deputado Maurício Dziedricki (PTB)

Deputado Lucas Redecker (PSDB)

Deputado Elton Weber (PSB)

Deputado Edu Olivera (PDT)

Deputado Bombeiro Bianchini (PR)

Mais de PSB nos Parlamentos

Produção, desenvolvimento e manutenção: