Quinta-feira, 18 de  abril de 2019
Governo do Estado beneficia 15 mil famílias com a recuperação de estradas

 

 

O empréstimo de maquinário e a contratação de horas-máquina para a recuperação de estradas marcaram os primeiros 100 dias da atual gestão da Secretaria de Obras e Habitação (SOP). O secretário José Stédile, presidente licenciado do PSB/RS, lembrou nesta quarta-feira (10) que a maior parte dos investimentos integra a força-tarefa do governo do Estado para auxiliar os municípios da Fronteira Oeste atingidos pelo temporal de janeiro. Os serviços contemplam, ainda, o desassoreamento de arroios e beneficiam 15 mil famílias também em cidades da Região Metropolitana, Vale do Caí, Noroeste, Serra e Vale do Rio Pardo.

Até o momento, 10 municípios que tiveram o estado de emergência homologado pelo governo do Estado foram beneficiados pela contratação de horas-máquina. Alegrete, São Gabriel e Uruguaiana receberam cerca de R$ 499 mil cada um para a contratação dos serviços. “A Casa Militar definiu os municípios contemplados priorizando as cidades mais afetadas pela chuva”, explicou Stédile.

Na última semana, o governo do Estado anunciou que mais sete cidades estão habilitadas, cabendo às prefeituras a entrega dos documentos no Desenvolvimento Urbano da secretaria. Os serviços somam R$ 1,5 milhão e serão realizados em Bagé, Dom Pedrito, Itaqui, Rosário do Sul, São Borja, Santana do Livramento e Quaraí. Cada um será contemplado com R$ 214 mil. Nos 10 municípios os serviços são de responsabilidade da empresa Komak Máquinas e Equipamentos Ltda., com a supervisão e fiscalização da prefeitura e da SOP.

Stédile também lembrou de outra função da secretaria, o empréstimo de maquinário para a recuperação de estradas. A cidade de Farroupilha assinou convênio para o alargamento e o nivelamento de 70 quilômetros de estradas no município. A intervenção beneficiará 1.500 famílias.

Texto: Saul Teixeira Foto Tiago Belinski- Ascom/SOP



Miki Breier será o novo presidente da Granpal

O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier (PSB), assumirá nesta sexta-feira (12) a presidência da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal). A cerimônia ocorrerá às 11h, na sede da instituição (Av. das Indústrias, 469, Porto Alegre), com a presença de lideranças da região.
A Granpal congrega municípios 15 municípios que respondem por 25% da população do Rio Grande do Sul e 1/3 do PIB gaúcho. Causas municipalistas são discutidas mensalmente pelos gestores, bem como são elaborados editais de licitações coletivas que reduzem o custo das compras públicas.
Miki tem uma longa trajetória política e administrativa. Já foi vereador, vice-prefeito de Gravataí, deputado estadual e secretário de Estado. Em 2016, foi eleito prefeito de Cachoeirinha. Ele enxerga na oportunidade um espaço para debates e decisões políticas capazes de representar os interesses de toda a região, promover a cooperação e buscar soluções para problemas comuns. "O compartilhamento das experiências e a busca coletiva por alternativas aos desafios que se colocam para que nossas cidades consigam entregar mais para as pessoas é a missão da Granpal e o nosso compromisso à frente da Associação", aponta.
Integram a Granpal os municípios de Porto Alegre, Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Charqueadas, Eldorado do Sul, Esteio, Glorinha, Gravataí, Guaíba, Nova Santa Rita, Santo Antônio da Patrulha, Viamão, Taquari, Triunfo.

 

Foto: Prefeitura de Cachoeirinha 

Luciano toma posse como vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos

Em cerimônia realizada na noite dessa segunda-feira (26), em Brasília, o prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, do PSB, assumiu a vice-presidência de Práticas Inovadoras da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), a principal entidade de defesa dos municípios no país.
Nos próximos dois anos, a FNP continuará sob a presidência do prefeito de Campinas/SP, Jonas Donizette. Luciano já havia desempenhado a função de vice-presidente na gestão anterior da entidade. "É muito significativo Passo Fundo seguir tendo representação nessa entidade que busca o fortalecimento dos municípios e tem uma ampla atuação na interlocução entre os poderes", afirmou o socialista.
Fundada em 1989, com sede em Brasília, a FNP é a única entidade municipalista nacional dirigida exclusivamente por prefeitas e prefeitos em exercício dos seus mandatos, congregando médias e grandes cidades brasileiras. A FNP tem como objetivo zelar pelo princípio constitucional da autonomia municipal, visando garantir a participação plena e imprescindível dos municípios no pacto federativo. Para isso, a FNP adota no âmbito dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, medidas coletivas em sua defesa.

Departamento de Comunicação- Prefeitura de Passo Fundo

Foto: Alex Borgmann

 

Nova UPA reforça o atendimento em Cachoeirinha

A tão esperada inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), aconteceu no sábado, dia 23, às 18 horas. Pouco depois, a unidade começou a receber pacientes, incluindo emergências e urgências.
Com a abertura, os moradores de Cachoeirinha tem agora mais um apoio no cuidado com a saúde 24 horas. A unidade Francisco de Medeiros vai acolher até 5 mil pacientes por mês. A UPA tem 1.254m² de área construída, 12 leitos de internação, sendo quatro adulto feminino, quatro adulto masculino e quatro pediátricos; além de dois leitos de internação de isolamento, para o caso de doenças contagiosas. 
Na unidade atenderão 15 clínicos gerais, cinco pediatras, 12 enfermeiros e 38 técnicos de enfermagem. O presidente do Conselho Municipal da Saúde, José Oclécio Padilha, disse que durante muitos anos a cidade lutou para ter uma unidade. “É uma alegria estarmos aqui nesse momento”, ressaltou.
O secretário de Saúde, Paulo Abrão, falou da dificuldade em se executar a gestão de Saúde. “Temos que ter criatividade para lidar com a falta de recursos e com os imprevistos. Temos muitos momentos difíceis que superamos com a vontade de trabalhar”, explicou. “Os esforços conjuntos de gestão possibilitaram a finalização desta obra. A partir de agora, a comunidade vai ter acesso a uma nova estrutura que vai oferecer atendimento básico”, ressaltou o secretário.
O secretário de Governança e Gestão, Juliano Paz, lembrou que a conclusão e a entrega da UPA são compromissos assumidos e cumpridos pelo atual governo com a comunidade de Cachoeirinha. “O sonho de quem luta pode até demorar mais do que se deseja, mas ele se concretiza”.
O presidente do Legislativo, Fernando Medeiros, lembrou que a saúde está entre as maiores preocupações da população. “Diariamente recebemos inúmeros pedidos para melhorar a saúde. Essa obra vai salvar muitas vidas”, descreveu.
O secretário de Obras do RS, José Stédile, parabenizou todo o conjunto que se envolveu para finalização da UPA. “Vivemos em um país que não valoriza a saúde, o governo federal auxilia com a construção de novas unidades, mas o custeio é feito pelos municípios. Parabéns a Cachoeirinha”.
O prefeito Miki Breier destacou que a UPA terá até 120 servidores para dar um melhor atendimento a população. “Quero dizer a todos que o nosso governo continuará perseguindo cada obra, cada serviço e cada demanda porque o sofrimento de cada ser humano é também o nosso”.
Miki lembrou que a sua gestão tem priorizado o contato direto com as pessoas nos programas o Gabinete da Gente, a Prefeitura da Gente e o Diálogos com a Cidade. “Que nós possamos, nesse lugar, construir mais vidas, cuidar da vida e respeitar a vida. Cuidar de todos muda tudo e também a nossa vida”, concluiu.

NOVIDADE

O governo municipal, a partir da inauguração da UPA, busca viabilizar o serviço de raio-X. O secretário de Saúde, Paulo Abrão, explica que o município está em negociação com o Estado.
O Conselho Municipal de Saúde já aprovou e estamos trabalhando pela liberação do serviço de raio-X, que servirá a muitas demandas de urgência e emergência atendidas na UPA 24h”, pontua o titular da pasta.
O aparelho de raio-X é o primeiro passo para que Cachoeirinha tenha o atendimento de traumatologia. O município também deve contratar médicos desta especialidade para atender na UPA Francisco de Medeiros.

Texto: Carol Cândido Foto: Fernando Planella- Comunicação/PMC

Ex-secretário Salazar é homenageado pela SOP

A Secretaria de Obras e Habitação completa 129 anos de história nesta quinta-feira (21) com uma trajetória marcada pelo compromisso no planejamento, gestão de projetos e realização de obras públicas. Para marcar a data foi realizado o descerramento da fotografia do advogado Rogério Salazar na galeria dos ex-secretários da SOP – ele chefiou a pasta entre 19 de abril de 2018 a 31 de janeiro de 2019. A solenidade ocorreu no terceiro andar da secretaria, local que abriga a galeria dos secretários, com registros desde o ano de 1889.
O secretário de Obras e Habitação, José Stédile, comentou sobre a data especial na história da secretaria. “A SOP é uma das mais antigas pastas da administração pública estadual, tendo passado pela gestão da secretaria personalidades como Sinval Guazzelli, Leonel Brizola, entre outras ilustres personalidades. Hoje fazemos uma justa homenagem ao ex-secretário Rogério Salazar que deixou seu legado e passa a integrar o seleto grupo de ex-gestores da SOP”, disse o secretário. “Seguiremos trabalhando para que o Rio Grande entregue cada vez melhores serviços à sociedade”, completou.
Em 21 de março de 1890 foram criadas as secretarias de Agricultura e Obras; do Interior e da Fazenda. Na época, a Secretaria de Obras foi incorporada pelos servidores da Diretoria de Agricultura e Obras, tendo os serviços distribuídos pelos setores de forma independente, porém reportados ao titular da pasta.
Rogério Salazar passa a ser o 58º integrante da tradicional galeria de ex-secretários. “A SOP cumpre um importante papel estratégico para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul, em especial nas áreas da educação, segurança, habitação e saneamento básico”, afirmou, destacando que a história da pasta é construída por centenas de dirigentes, arquitetos, engenheiros e funcionários das mais diversas áreas e especializações. “Fica o meu agradecimento ao secretário José Stédile e aos servidores pela homenagem e pela convivência”, concluiu.
Nos 129 anos de história, as demandas voltadas para viação terrestre e fluvial, saneamento, habitação, urbanismo, economia, agricultura e até mesmo de serviços geológicos e mineralógicos serviram de razão para a constituição de diretorias especializadas para atender estas áreas, assim como para o protagonismo da SOP no desenvolvimento do RS.
O diretor-presidente da Companhia Riograndense de Saneamento, Jorge Melo, enalteceu a sintonia e o trabalho realizado durante o período em que Rogério Salazar esteve à frente da secretaria, quando a Corsan ainda estava vinculada à SOP. Melo lembrou as importantes ações e investimentos realizados nas áreas do tratamento de esgoto e no abastecimento de água.

O presidente do estadual do PSB, Mário Bruck, disse que o partido tem orgulho da atuação de Salazar à frente da Secretaria. Lembrou que ele deu sequência ao trabalho iniciado por Fabiano Pereira e que agora tem continuidade com Stédile. “É o PSB deixando a sua marca na admnistração pública.”

 

Texto: Jean Maidana

Foto: Tiago Belinski

 

Ascom/SOP

 

 

Secretário de Obras e Habitação defende  titularidade de mulheres na política habitacional

O secretário estadual de Obras e Habitação, José Stédile, afirmou nesta sexta-feira (08) que as políticas públicas para a promoção da habitação popular irá priorizar a titularidade das mulheres. A proposta foi apresentada às servidoras da SOP durante confraternização pelo Dia Internacional da Mulher. Na atividade também foram debatidos alguns desafios do universo feminino, entre eles, o protagonismo da mulher na sociedade contemporânea.

Stédile detalhou a proposta, defendendo que as mulheres possuem maior zelo com a família do que os homens. “A lei da regularização fundiária e urbana garante o acesso à moradia para as famílias necessitadas. Dentro desse contexto, defendemos que as titulares dos imóveis sejam mulheres”, disse. Com data de janeiro de 2001, uma lei estadual (n°11.574) destina no mínimo 20% dos recursos públicos estaduais à habitação para as mulheres que sejam chefes de família. “Existem muitos casos em que homens negociam as moradias e deixam as famílias desassistidas. É por isso que além de garantir os 20% previstos pela legislação, ampliaremos a medida para o máximo de mulheres possíveis”, justificou.

Na reunião também foi implantado o núcleo das mulheres da SOP. A proposta é formar um fórum de debates e analisar as demandas que chegam à secretaria com o recorte de gênero. “Pensaremos em mais políticas públicas que atendam as mulheres, assim como faremos na habitação”, concluiu Stédile.

A atividade ocorreu no gabinete da secretaria, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), em Porto Alegre.

Texto e Foto:  SAUL TEIXEIRA - ASCOM SOP

 



Mais de PSB nos Governos

Produção, desenvolvimento e manutenção: