Segunda-feira, 10 de  dezembro de 2018

Prefeitos e vices discutem projeto que mantém aliquotas do ICMS

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira |  Categoria: Blog
 |  Acessos: 1

 

Prefeitos e vice-prefeitos do PSB se reuniram nesta tarde na bancada do partido na Assembleia Legislativa. O objetivo do encontro foi discutir com os deputados o projeto que mantém as atuais alíquotas de ICMS no Estado.

Estiveram presentes os prefeitos de Arroio dos Ratos, Luciano Rocha, Cachoeirinha, Miki Breier, Candelária, Paulo Butzge, Julio de Castilhos, João Vestena, Nova Prata, Volnei Minozzo, Três Palmeiras, Silvanio Antonio Dias e Venâncio Aires, Giovane Wickert . E os vices de Arroio dos Ratos, Olavo Trasel, Esteio, Jaime da Rosa, Farroupilha, Pedro Pedroso e Ronda Alta, Odemar Raimondi. Eles foram ouvidos pelo presidente estadual, José Stédile, pelos vices Mário Bruck e Juliano Paz, pelo deputado Elton Weber, e seu chefe de gabinete, Airton Hochscheid, e o chefe da gabinete da deputada Liziane Bayer, Sérgio Teixeira.

Os gestores são unânimes em afirmar que o fim das atuais alíquotas vai atingir diretamente a arrecadação dos municípios, que já sofrem dificuldades financeiras para manter os serviços para a população. “Todos enfrentamos problemas semelhantes com a falta de recursos e a situação pode ficar ainda pior”, afirmou o prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, que articulou a reunião.

O prefeito de Candelária, Paulo Butzge, que integra a diretoria da Famurs, disse que o levantamento da entidade apontou e que 80% dos prefeitos são favoráveis à manutenção das alíquotas.

O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, que já foi deputado estadual, lembrou que este debate se repete no legislativo, porque não há uma solução a longo prazo para os resolver o problema de finanças do estado.

Silvanio Dias, de Três Palmeiras, reforçou que são os prefeitos que sentem a cobrança da população. Segundo Luciano Rocha, Arroio dos Ratos já vem fazendo cortes onde é possível, mas com uma eventual queda na arrecação, será inviável manter os serviços. João Vestena, prefeito de Júlio de Castilhos, considera que a queda na arrecadação vai atingir diretamente a população em áreas essenciais como a saúde.

O presidente Stédile, lembrou que é um compromisso da atual gestão ouvir os prefeitos e as bases do partido. “Eu também já fui prefeito e sei o quanto é importante os recursos vindos do ICMS nos municípios”.

 

 

 

 

 

Mulheres Socialistas debatem os desafios da representação política

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira |  Categoria: Blog
 |  Acessos: 83

 

Nem a forte chuva da tarde desanimou as Mulheres Socialistas que se reuniram no Encontro Estadual no último sábado (1/12) no Plenarinho da Assembleia. Representantes de vários municípios estiveram presentes para debater os Desafios e Rumos para as Socialistas.

 

A secretária estadual de Mulheres, Maria Luiza Loose, a Malu, lembrou que a luta das mulheres deve ser constante para ocupar os espaços de representação política e que os homens também devem se integrar.

 

A abertura do evento contou com representantes da direção partidária como o presidente estadual, deputado federal José Stédile, o vice-presidente, Mário Bruck, o secretário de finanças, Anselmo Piovesan, que também representou o deputado federal Heitor Schuch, e o deputado Elton Weber.

 

Após a saudação inicial Malu convidou todas a mulheres que concorreram no último pleito a comporem a mesa e usarem a palavra, além de receberem uma homenagem especial. “São companheiras corajosas que se dispuseram a enfrentar a campanha em um momento difícil da política”, elogiou. As candidatas a deputada federal Diza Gonzaga, Mari Machado, Ana de Tandera, Sirlei Dias, Marisa Silva e estadual, Nara Paim, Lúcia Castêncio, Olga Oliveira fizeram suas manifestações.

 

Em 2018, o PSB/RS teve 21 candidaturas femininas. Foram 11 candidatas a deputada estadual que juntas fizeram 43.63 votos, e 10 candidatas a federal, que somados os votos chegaram a 118.71.

 

A deputada estadual eleita Franciane Bayer falou do desafio de enfrentar o seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa. “Preciso do apoio de todas vocês”, ressaltou. Já a deputada Liziane Bayer, atual deputada estadual, a partir do ano que vem assume a cadeira na Câmara dos Deputados. Ela é a primeira mulher eleita para o cargo pelo PSB gaúcho. Ela reconheceu que há um desgaste e um descrédito junto à população. “Mas só podemos mudar a política para melhor, através da própria política, não há outro meio para fazer isso”, comparou.

 

As mulheres também deliberaram que no caso do PSB ingressar no futuro governo, que os espaços das mulheres também sejam respeitados. “Temos companheiras com histórico de luta e muito qualificadas”, justificou Malu.

 

 

 

Inaugurada galeria que resgata história da liderança do PSB na Câmara

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira |  Categoria: Blog
 |  Acessos: 64

Emoção e nostalgia marcaram o descerramento do quadro da galeria dos ex-líderes da Bancada do PSB na Câmara dos Deputados. Instalado na sala de reuniões da Liderança do Partido na Casa, o painel conta com fotos dos 27 parlamentares que ocuparam o cargo desde 1987. A cerimônia foi prestigiada pelo presidente do PSB/RS, deputado federal José Stédile, pelo deputado federal Heitor Schuch e pelo vice-presidente nacional, Beto Albuquerque.  

O trabalho realizado pela Liderança do PSB ao longo desses anos sempre mereceu destaque. Além do importante papel no combate à corrupção, os líderes da Legenda se evidenciaram pela defesa dos direitos sociais, na luta pela diminuição das desigualdades e pela melhoria de vida da população em relação a temas básicos como saúde, educação, segurança e emprego. A questão ambiental também esteve presente nos debates propostos pelas lideranças socialistas, assim como a defesa dos direitos dos trabalhadores, a segurança no trânsito, o combate às drogas e a assistência à família e a vítimas de catástrofes.

O atual líder, deputado Tadeu Alencar (PE), falou do orgulho de fazer parte desse grupo de parlamentares que estiveram, em algum momento, à frente da Bancada na Câmara. “É uma honra figurar nesta galeria. Aqui, fazemos um reconhecimento e um tributo à memória do Partido que tem 70 anos de história, sem nunca claudicar nos seus deveres de defesa dos interesses maiores da sociedade brasileira”, ressaltou o socialista. Tadeu falou do momento desafiador da política nacional e destacou o trabalho do PSB nesse cenário. “Não recusaremos a tarefa de contribuir com os interesses do País, com ideias e com propostas. O partido tem sido o sustentáculo da democracia, da República, dos princípios e dos valores que nos trouxeram até aqui, e assim seguiremos com o nosso trabalho.”

Para o presidente Nacional do PSB, Carlos Siqueira, a galeria relembra toda a história do Partido, uma vez que, segundo ele, os parlamentares representam o rosto público da Legenda. Siqueira destacou o papel ainda mais significativo que a Bancada eleita para a próxima Legislatura terá diante da conjuntura política nacional. “O momento inédito da política é extremamente desafiador. Estou seguro de que os deputados compreenderão o trabalho que o destino lhes reservou nesta quadra da vida nacional”, avaliou.

Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, líder do PSB entre os anos de 2009 e 2011, demonstrou profundo orgulho ao lembrar que conviveu com todos os líderes homenageados. Na ocasião, ele também reforçou a necessidade de a Bancada permanecer unida diante do cenário que se apresenta. “Precisaremos de muito espirito público e de muita unidade no campo progressista, para que possamos avançar na construção um país menos desigual e mais generoso no compromisso com a população.” Rollemberg acredita que o PSB cumprirá, mais uma vez, papel muito importante na história política do País.

Presente na cerimônia, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, destacou trabalho dos líderes do PSB no Congresso. Ao falar da galeria, Maia ressaltou a importância de se preservar a história. “Um país sem memória é um país que nunca construirá um futuro melhor para seus brasileiros. Vivemos num País com 13 milhões de pessoas em extrema pobreza. Nesse sentido, independente da questão ideológica e de qual é o caminho correto, esse tem que ser sempre nosso objetivo, o de que os brasileiros tenham igualdade de oportunidades para tirarmos do Brasil essa marca.” O vice-presidente da Casa, Fábio Ramalho, e o terceiro secretário da Mesa Diretora, deputado JHC (PSB-AL), também prestigiaram a cerimônia.

Sintonia – Líder do PSB nos anos de 2013 e 2014, momento em que foi preparada a lançada a candidatura de Eduardo Campos à presidência da República, Beto Albuquerque acredita que o líder da bancada deve ser a expressão da história e do pensamento da legenda que representa. “Os líderes são importantes quando têm absoluta sintonia com o partido. Devem estar conectados com a história, com as lutas, com os programas e as convicções da base de militantes.”

O deputado Júlio Delgado (MG) falou da nobreza com que todos os que passaram pela Liderança exerceram a função. “Esse papel é fundamental para a vida do Partido. Mas, além disso, é um papel que projeta esses ex-líderes para espaços enobrecidos e, assim, contribuir em outras esferas com uma política pública e social, que é a pauta do PSB.”

Dos líderes homenageados, estiveram presentes na cerimônia de descerramento do quadro da galeria a ministra do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes; o deputado Givaldo Carimbão (Avante-AL); a deputada Luíza Erundina (PSOL-SP) e o ex-deputado Alexandre Cardoso.

 

Texto: Tatyana Vendramini/ Foto: Chico Ferreira 

 

 

Diretório discute os rumos do partido a partir de 2019

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira |  Categoria: Blog
 |  Acessos: 40

O Diretório Estadual do PSB/RS se reuniu no último sábado no Plenarinho da Assembleia Legislativa. Na pauta a avaliação do resultados das eleições e a discussão dos rumos do partido a partir de 2019.

A reunião contou com a presença dos membros do diretório, além do presidente estadual, deputado federal Jsoé Stédile, do deputado federal Heitor Schuch, dos estaduais Elton Weber, Liziane Bayer, a deputada estadual eleita, Franciane Bayer, o secretário estadual de Obras, Rogério Salazar, o prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier.

O presidente José Stédile frisou que é um momento importante para que os dirigentes partidários possam refletir e trilhar o melhor caminho para fortalecer a legenda. O vice-presidente da sigla, Mário Bruck, apresentou o balanço das votações do partido no estado. Ele falou sobre a organização do PSB nos municípios e os resultados. “O PSB tem hoje prefeitos em 25 municípios e em apenas um não atingimos 5% dos votos para deputado federal e e em cinco não atingimos para deputados estadual”, explicou.

O deputado estadual Catarina Paladini anunciou o seu desligamento do PSB. Ele agradeceu pelos 10 anos que esteve no partido, mas disse que encerra um ciclo.

As manifestações seguiram respeito da possibilidade de ingresso no próximo governo a partir de 2019. Por ampla maioria o Diretório aprovou que a Executiva continue as conversas com o Governador eleito Eduardo Leite.

 

Socialistas debatem desafios da igualdade racial no Brasil

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira |  Categoria: Blog
 |  Acessos: 25

 

 

 

Em audiência pública na Comissão de Educação da Câmara, nesta quarta-feira (21), deputados e representantes do movimento negro debateram os desafios e as perspectivas da promoção da igualdade racial no Brasil.

O presidente do colegiado, deputado Danilo Cabral (PSB-PE), relembrou o Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, e lamentou que as desigualdades sociais entre negros e brancos se apresentem de forma generalizada no país. “Temos a necessidade da ação cotidiana do poder público para promover a igualdade racial. O papel transformador da educação é fundamental para o combate ao racismo no Brasil”, afirmou.

Na audiência, diversos participantes manifestaram preocupação com possíveis retrocessos na promoção da igualdade racial durante o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro como, por exemplo, em relação à política de cotas raciais nas universidades. “Mais do que nunca se faz necessário reafirmar as políticas públicas que têm sido objeto preferencial do ataque conservador”, defendeu Danilo Cabral.

A secretária nacional da Negritude Socialista Brasileira (NSB) e presidente nacional do Instituto Afro Origem (Inaô), Valneide Nascimento, criticou a condição social histórica da população negra ligada ao racismo e à miséria.

“São raros os casos de negros que superaram a pobreza e chegaram à notoriedade social. A Constituição garante nossos direitos, mas a sociedade ainda não consegue nos ver e nos conceder esses direitos. É preciso se armar de conhecimento, por meio da educação, para superarmos a inércia do Estado e a marginalização”, disse.

A deputada estadual do PSB no Amapá, Cristina Almeida, abordou a problemática da violência contra as mulheres, principalmente as negras, e afirmou que é por meio da educação que se forma o comportamento da sociedade. “Queremos reforçar o pedido para que esse debate seja ainda mais presente nessa comissão e queremos o fim do feminicídio, justiça, direitos e oportunidades”, disse.

Os representantes do movimento negro presentes no encontro cobraram a implementação da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana nas escolas de ensinos fundamental e médio. Para os debatedores, esse ensino é essencial para a superação da desigualdade racial e do racismo.

Maura Cristina da Silva, do Fórum Nacional de Mulheres Negras do Brasil, ressaltou a dificuldade de implantação da lei. “Existe uma grande resistência dos profissionais da área de trabalhar a lei, e isso passa pela intolerância religiosa”, opinou.

Ela também defende a existência de material didático voltado para o ensino da cultura afro-brasileira. “Nossas crianças não se veem nos livros. Se as crianças não se verem nos livros, estaremos fingindo que estamos fazendo nosso trabalho”, avaliou.

Para o subsecretário de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Distrito Federal, Victor Nunes, a formação de professores para o ensino dessa temática e a garantia de recursos para implementar a Lei 10.639/03 devem ser políticas de Estado, já que a população negra não pode depender da boa vontade de um ou outro governo.

 

Nunes também defendeu a aprovação do Projeto de Lei 8350/17, originado do PLS 160/2013, de autoria do senador João Capiberibe (PSB-AP), que propõe a destinação de um mínimo de 5% dos recursos do Fundo Partidário para promover candidaturas de afrodescendentes (negros e indígenas).

Secretário de Promoção da Igualdade Racial de Paulista (PE), José Antônio Rufino, elogiou a composição da mesa de debates, formada apenas por negros. Segundo ele, não raramente “brancos falam pelos pretos” em debates sobre igualdade racial. Na visão de Rufino, “quem deve falar sobre o tema é quem conhece e vive suas especificidades”.

 

Assessoria de Comunicação/PSB Nacional com informações da Agência Câmara de Notícias e da Liderança do PSB na Câmara

EM PAUTA NA MÍDIA

Mais notícias da Pauta Socialista

MOVIMENTOS SOCIALISTAS

Produção, desenvolvimento e manutenção: