Quarta-feira, 12 de  dezembro de 2018

Mundo em crise, esquerda em crise, jovens nas ruas. E daí?

Imprimir
Escrito por Roberto Amaral - Carta Capital |  Categoria: Pensamento Socialista
 |  Acessos: 537

Por Roberto Amaral,* publicado na Carta Capital

O dramático em face da  crise do capitalismo não deriva, como tentam fazer crer os economistas midiáticos, de um ‘excesso de desregulamentação’. Com isso querem dizer que, resultado de ‘descuido’ de regulagem, a disfunção é corrigível pelos próprios operadores da miséria. Repitamos sempre: a crise é endógena,  estrutural, donde sua disfunção sistêmica independe do neoliberalismo e de sua filha dileta, a hiperacumulação financeira especulativa. O mal é mesmo o capitalismo, e isso não tem cura. Mas, até aí, morreu Neves. O dramático, em face dessa crise que engolfa o mundo globalizado, é a apatia das esquerdas no Brasil e no mundo, responsável pelo escândalo político deste início de século:  a vitória ideológica da direita.

Um sistema anti-social

Imprimir
Escrito por Emir Sader - Carta Maior |  Categoria: Pensamento Socialista
 |  Acessos: 585

“Se os 44 milhões de pessoas que estão desempregadas nos principais países ricos da OCDE fossem agrupados em um único pais, sua população seria similar à da Espanha. Na própria Espanha, que tem a mais alta taxa de desemprego (21%), o número de pessoas sem trabalho soma a população de Madri e de Barcelona juntas. Nos EUA, os 14 milhões de pessoas oficialmente desempregadas formariam a quinta cidade mais populosa do país. Acrescente-se 11 milhões de “subempregados”, que estão trabalhando menos do que queriam, e se chega à população do Texas.”

O "S" do PSB

Imprimir
Escrito por Roberto Amaral |  Categoria: Pensamento Socialista
 |  Acessos: 937

Para nós, militantes do PSB, o S de nossa sigla é carregado de significados, simbologia e história. Ele resume séculos de luta social, de avanços, sofrimentos e conquistas, principalmente a partir da Revolução Industrial (1780). Ele remonta ao Manifesto Comunista (1848), às revoluções sociais do século XX e a todo os processos de independência nacional e descolonização, nas Américas, na África e na Ásia.

Introdução à pequena história de nossos sucessivos regimes eleitorais

Imprimir
Escrito por Roberto Amaral e Sérgio Sérvulo da Cunha |  Categoria: Pensamento Socialista
 |  Acessos: 744

Por Roberto Amaral e Sérgio Sérvulo da Cunha

Dentre as muitas características dos regimes democráticos, uma é inafastável: sua raiz na soberania popular. Daí decorrem tanto a legitimidade quanto a legalidade do poder, cujo exercício é regulado por um ordenamento jurídico encimado pela Constituição. A soberania popular, por seu turno, nas democracias representativas, como a brasileira, se exerce mediante o voto (ou sufrágio), direito do cidadão, sem o qual não existe democracia representativa. No Brasil, o cidadão vota quando elege seus representantes (aqueles que em seu nome e por sua delegação vão elaborar as leis ou governar), quando aprova ou rejeita leis, ou quando responde a consultas. Mas não se esgota aí o exercício da soberania popular pois lhe é também conferida a iniciativa na proposição de leis .

A vitória de Sancho Pança

Imprimir
Escrito por Roberto Amaral - Presidente Nacional do PSB |  Categoria: Pensamento Socialista
 |  Acessos: 1085

“Cada vez que, em nossa própria vida, nos recusamos a uma salida, porque sabemos que o nosso ato não terá força sobre as condições externas e assim não poderá remover obstáculos opostos ao nosso intento, estamos agindo contra o espírito de D. Quixote”.

Produção, desenvolvimento e manutenção: