Sexta-feira, 22 de  março de 2019

Prefeitos e vices discutem projeto que mantém aliquotas do ICMS

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira  |  Categoria: Blog
 |  Acessos: 255

 

Prefeitos e vice-prefeitos do PSB se reuniram nesta tarde na bancada do partido na Assembleia Legislativa. O objetivo do encontro foi discutir com os deputados o projeto que mantém as atuais alíquotas de ICMS no Estado.

Estiveram presentes os prefeitos de Arroio dos Ratos, Luciano Rocha, Cachoeirinha, Miki Breier, Candelária, Paulo Butzge, Julio de Castilhos, João Vestena, Nova Prata, Volnei Minozzo, Três Palmeiras, Silvanio Antonio Dias e Venâncio Aires, Giovane Wickert . E os vices de Arroio dos Ratos, Olavo Trasel, Esteio, Jaime da Rosa, Farroupilha, Pedro Pedroso e Ronda Alta, Odemar Raimondi. Eles foram ouvidos pelo presidente estadual, José Stédile, pelos vices Mário Bruck e Juliano Paz, pelo deputado Elton Weber, e seu chefe de gabinete, Airton Hochscheid, e o chefe da gabinete da deputada Liziane Bayer, Sérgio Teixeira.

Os gestores são unânimes em afirmar que o fim das atuais alíquotas vai atingir diretamente a arrecadação dos municípios, que já sofrem dificuldades financeiras para manter os serviços para a população. “Todos enfrentamos problemas semelhantes com a falta de recursos e a situação pode ficar ainda pior”, afirmou o prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, que articulou a reunião.

O prefeito de Candelária, Paulo Butzge, que integra a diretoria da Famurs, disse que o levantamento da entidade apontou e que 80% dos prefeitos são favoráveis à manutenção das alíquotas.

O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, que já foi deputado estadual, lembrou que este debate se repete no legislativo, porque não há uma solução a longo prazo para os resolver o problema de finanças do estado.

Silvanio Dias, de Três Palmeiras, reforçou que são os prefeitos que sentem a cobrança da população. Segundo Luciano Rocha, Arroio dos Ratos já vem fazendo cortes onde é possível, mas com uma eventual queda na arrecação, será inviável manter os serviços. João Vestena, prefeito de Júlio de Castilhos, considera que a queda na arrecadação vai atingir diretamente a população em áreas essenciais como a saúde.

O presidente Stédile, lembrou que é um compromisso da atual gestão ouvir os prefeitos e as bases do partido. “Eu também já fui prefeito e sei o quanto é importante os recursos vindos do ICMS nos municípios”.

 

 

 

 

 

EM PAUTA NA MÍDIA

Mais notícias da Pauta Socialista

MOVIMENTOS SOCIALISTAS

Produção, desenvolvimento e manutenção: