Segunda-feira, 10 de  dezembro de 2018

Beto Albuquerque é Cidadão de Porto Alegre

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira  |  Categoria: Coluna Socialista
 |  Acessos: 369

O ex-deputado-federal e ex-secretário estadual de Transportes e Infraestrutura Beto Albuquerque recebeu a outorga de cidadão de Porto Alegre, nesta terça-feira (15/5). O proponente da homenagem foi o vereador Airto Ferronato (PSB), que presidiu a sessão. Pelo Legislativo, também prestigiaram o evento os vereadores Reginaldo Pujol (DEM), Mauro Zacher (PDT) e Paulinho Motorista (PSB). O deputado estadual Catarina Paladini, também do PSB, representou a Assembleia Legislativa.

 

Ferronato destacou a trajetória política e pessoal de Albuquerque ao justificar a outorga. Ele observou que o homenageado veio de baixo da pirâmide social. Foi empacotador de supermercado. Depois, aprendeu o ofício de mecânico, trabalhando na oficina do pai. O proponente reforçou que Beto passa a ser um cidadão de fato e de direito porque, em Porto Alegre, construiu vínculos de cidadão e familiares. “Ele é cidadão de Porto Alegre por decisão unânime da Casa que representa um milhão de eleitores”, resumiu Ferronato.

 

Após receber a outorga, Beto Albuquerque assinalou que todos os presentes fizeram parte dessa conquista. Ele devolveu os elogios a Ferronato e saudou ainda a presença do presidente da Casa, Valter Nagelstein (PMDB), que, por cumprir agenda externa, chegou mais tarde à sessão. Para Albuquerque, o parlamento de Porto Alegre é formado por vereadores de qualidade os quais expressam a qualidade política da população da cidade. Ele falou das diversas obras que promoveu na cidade como secretário de Transportes e Infraestrutura, entre os quais o desmembramento da zona portuária da cidade, o que permitirá a revitalização do Cais Mauá. 

 

Currículo

 

O homenageado começou sua vida pública como liderança estudantil na cidade de Passo Fundo, onde presidiu o Diretório Acadêmico América Latina Livre, de 1984 a 1985 (durante curso de História), e o Diretório Central de Estudantes. Em 1986, filiou-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), seu único partido. Beto Albuquerque dirigiu a Associação Passo-fundense de Defesa do Consumidor (Apadecon), de 1987 a 1990, e a Juventude Franciscana no Estado. Foi membro fundador do Movimento de Justiça e Direitos Humanos na região de Passo Fundo.

 

Parlamentar

 

Em 1990, Albuquerque foi eleito com 11,8 mil votos para a Assembleia Legislativa pelo PSB. Em 1994, reelegeu-se deputado estadual com 34,2 mil votos. Chegou à Câmara dos Deputados com 80,6 mil votos, em 1998. Em 2002, foi reeleito para mais um mandato na Câmara dos Deputados, com 126 mil votos. Assumiu como membro titular da Comissão de Viação e Transportes (CVT). Em setembro de 2003, assumiu também o cargo de presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro.

 

Em 2006, o site Congresso em Foco também apontou Beto Albuquerque como um dos 25 parlamentares de melhor atuação. Em outubro do mesmo ano reelegeu-se deputado federal com 174 mil votos, 38,32% a mais que na eleição anterior. Em 2008 e 2010, Albuquerque foi novamente eleito pelos jornalistas um dos melhores parlamentares. Em 2009, foi agraciado com o Prêmio Líderes & Vencedores, na categoria Mérito Político. 

 

Leis

 

Beto Albuquerque é autor de diversos projetos os quais redundaram em leis. Em 2009, foi sancionada a lei de sua autoria que instituiu a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea – de 14 a 21 de dezembro. É autor de duas leis que aprimoraram o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Em 2010, foi reeleito com mais de 200 mil votos, ano em que fez aprovar no Congresso Nacional o Fundo Nacional do Idoso. Naquele ano, se licenciou para assumir a Secretaria de Infraestrutura e Logística do Rio Grande do Sul, função que exerceu até dezembro de 2012, quando reassumiu seu mandato na Câmara dos Deputados. Casado com Daniela Miranda, tem três filhos, Rafael, Nina e Luca. Nove anos atrás, Albuquerque sofreu um revés pessoal com a perda de outro filho, Pietro, vitimado pela leucemia, o que motivou a liderar a luta pelo aperfeiçoamento do sistema de cadastramento e de doação de medula óssea no país.

 

Texto: Fernando Cibelli de Castro (reg. prof. 6881) 

Foto: Ederson Nunes/CMPA

 

Mais artigos da Coluna Socialista

25-06-2018
Convocação Congresso Estadual

Produção, desenvolvimento e manutenção: