Segunda-feira, 18 de  junho de 2018

Seu voto tem consequência

Imprimir
Escrito por Luciane Ferreira |  Categoria: Artigos
 |  Acessos: 49

 

Muito se discute sobre a importância do voto em meio ao descrédito da população com a política e com os políticos brasileiros. Nas eleições municipais de 2016 os números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostraram que para maioria dos brasileiros o voto não muda a realidade do país ou que a sua influência é mínima.

 

No total, 10,7 milhões de pessoas não compareceram às urnas no segundo turno ou votaram em branco ou nulo, o que significou 32,5% do eleitorado no Brasil. Na capital gaúcha, por exemplo, as abstenções, votos em branco e nulos superaram os 402.165 votos do prefeito eleito naquela oportunidade. 

 

O percentual que espelha esse cenário vem subindo no país, em 2012 foi de 26,5% dos votos válidos. Mas o que esperar das urnas em 2018? Votar nulo colabora ou prejudica o Brasil? Em minha longa estrada como sindicalista, cooperativista e no desempenho do meu primeiro mandato parlamentar, vejo riscos em transferir a sua decisão para outros. A eleição poderá ser decidida, por exemplo, por cidadãos menos esclarecidos ou influenciados por candidatos com campanhas milionárias. Não esqueça: mesmo se a maioria da população anulasse o voto, não haveria efeito já que a Constituição considera somente os votos válidos. 

A política não se restringe ao voto, mas ele é, sem dúvida nenhuma, um instrumento muito importante para definir os rumos do país. Tenha certeza: a corrupção no Brasil está concentrada em alguns grupos. A Operação Lava Jato teve um papel fundamental para mostrar os maus políticos. Agora, a população tem que fazer a sua parte, exercer sua cidadania, escolher candidatos honestos, comprometidos com a sociedade, que tenham ficha limpa. Para isso, precisa conhecer seu histórico e suas bandeiras de luta. 

 

Precisamos de líderes e representantes de nossos anseios e desejos. O seu voto tem consequência, o seu voto faz a diferença porque o seu voto tem o poder de mudar a realidade.

 

Deputado estadual Elton Weber

Executiva Negritude Socialista Brasileira (NSB/RS)

Imprimir
Escrito por PSBRS |  Categoria: Negritude Socialista Brasileira
 |  Acessos: 331

Executiva Negritude Socialista Brasileira (NSB/RS):

JSB debate “Como desenvolver cidades com práticas sustentáveis”

Imprimir
Escrito por Portal PSB |  Categoria: Juventude Socialista
 |  Acessos: 933

"De Norte a Sul e no País inteiro e viva o Partido Socialista Brasileiro”.
“E viva Arraes, e viva Mangabeira e viva a Juventude Socialista Brasileira”.
Foram com essas palavras de ordem que a Juventude Socialista Brasileira (JSB) iniciou o debate “Como desenvolver cidades com práticas sustentáveis”, na Cúpula dos Povos.

Juventudes que aprendem e ensinam

Imprimir
Escrito por Miki Breier |  Categoria: Artigos
 |  Acessos: 590

O tema escolhido pela CNBB para a Campanha da Fraternidade deste ano faz com que reflitamos sobre as políticas públicas voltadas para a juventude. Ao invés de lamentarmos a forte influência das drogas, mídia e violência social nesta fase da vida, precisamos construir projetos, em diálogo com o nosso jovem, que garantam o seu protagonismo.

PLATAFORMA DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS MULHERES PARA OS GOVERNOS DO PSB

Imprimir
Escrito por Daniela de Miranda |  Categoria: Sobre o movimento
 |  Acessos: 520

As mulheres socialistas levaram para discussão e aprovação, no XII Congresso Nacional do Partido Socialista Brasileiro a Plataforma de Políticas Públicas para as Mulheres nos Governos do PSB, que deverá ser apresentada como proposta para gestões socialistas de prefeitas e prefeitos socialistas.

1.            A promoção de uma nova relação entre homens e mulheres é ponto estruturante das políticas sociais socialistas;

Sub-categorias

  • Artigos
  • Juventude Socialista

    Juventude Socialista Brasileira do RS - JSB/RS

    Rua Dr. Barros Cassal, 288 - Bairro Floresta

    Porto Alegre/RS - CEP 90035-030

    www.psbrs.org.br - E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

    Participe da nossa lista de discussão: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

     

    O Partido Socialista Brasileiro (PSB) se mantém desde tempos na vanguarda do debate dos diferentes movimentos de juventude, seja atuando dentro das estruturas do movimento estudantil, como na União Nacional dos Estudantes (UNE), na União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), seja na base, politizando e transformando a realidade através de nossa militância nos diferentes CA,s Das e Grêmios estudantis. Estivemos presentes na derrubada da ditadura, na campanha do petróleo é nosso, nas ruas pedindo “fora Collor”, conquistamos a UERGS e lutamos permanentemente pela construção cotidiana da liberdade e da igualdade.

    Vivemos hoje, entretanto, uma situação de profundo paradoxo. Os tempos de liberdade e de democracia política, conquistada após duros embates, trouxeram consigo também a apatia que aprisiona os jovens numa perspectiva individualista da existência. Persiste ainda um sistema de ensino alienante, massificante e autoritário. O jovem é treinado para a competição, para o consumismo sem freios que não dialoga nem se coaduna com as limitações ecológico-ambientais do planeta. Enquanto jovens queremos construir atitudes transformadoras e emancipadoras, sentimos a necessidade de pensar novos rumos para o mundo que nos cerca, com socialismo e solidariedade, contra o rolo-compressor que tenta nos esmagar no dia-dia, contra o tédio e lamúria dos indiferentes.

    Grande parte dos jovens brasileiros rejeita a política, se dizem apolíticos sem nem saber que a política envolve todas as coisas do seu cotidiano: Por outro lado vêem com bons olhos atitudes de preservação do meio-ambiente, preservação da vida, e da ampliação dos horizontes culturais. Acreditam que na política só existe sujeira, jogo de interesses e pouca preocupação com a população. Esquecem que fazer este jogo, da não participação é a forma mais cabal de concordar com o status quo , de deixar as coisas como estão. Afirmamos então que toda atitude de transformação é uma atitude política, pois dialoga com a mudanças nos modos de pensar e agir. Pequenas bandeiras (culturais, ecológicas, de segurança, desenvolvimento sustentável,etc) se unem na luta pela transformação de um modo de vida capitalista, que exclue parte de nossos jovens do uso e gozo dos bens da vida. O correr da vida que muitas vezes nos embrulha, está apenas a nos exigir coragem para mudar!

    Em resposta a isto nós, militantes da JSB acreditamos no poder de mobilização e transformação da Juventude Brasileira. Não aceitamos o comodismo, denunciamos a estagnação. Queremos atrair o máximo possível de jovens para a participação nos diferentes movimentos de Juventude. Novos horizontes se abrem quando pensamos nas possibilidades e diálogos trazidos pelos conselhos municipais de Juventude, ONGs, OSCIPS, Sindicatos, fundações e demais entidades que militam pela causa do trânsito seguro, da manutenção das florestas, do acesso ao ensino, da reforma universitária, da ampliação do pró-jovem, da sucessão rural e toda uma gama de novas lutas e diálogos, que refletem a pluralidade do cotidiano da vida dos jovens como ela é.

    Rejeitamos este mundo da forma como ele está, rejeitamos os estereótipos, queremos trazer para centro do debate político este conjunto de pequenas lutas, que refletem em nossa concepção a perene impossibilidade do modo de produção capitalista em responder com plenitude aos anseios de vida. Rejeitamos a opressão do homem como única certeza destes tempos. Queremos moldar uma nova realidade, mas sem utilizar os velhos moldes e formas pré-concebidas. Queremos ser novos homens e novas mulheres. Acreditamos em nossos sonhos! Ousamos o diferente! É hora do socialismo!
    VENHA MILITAR NA JSB

    Total de artigos: 19
  • LGBT

     

    Municipios que desejam constituir Coordenações Municipais ou Núcleos podem entrar em contato com Diego Nickel (Coordenador Estadual do Movimento LGBT Socialista) pelos telefones 51-84198777 / 51-33259494 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

     

     

     

     

    Total de artigos: 7
  • Movimento Popular Socialista
     

    A construção do Movimento Popular

    O surgimento do movimento popular e, em especial, das associações de moradores, se deu em conseqüência das desigualdades sócio-econômicas vigentes, da injusta distribuição de renda nacional, ocasionados pelo enriquecimento de meia dúzia de grandes conglomerados que acontecem hoje através de grandes fusões, gerando desemprego e o empobrecimento da maioria da população brasileira.

     

    Para que o movimento popular possa ser um instrumento em defesa dos interesses da sociedade, principalmente dos mais carentes, é indispensável que seja capaz de superar suas atuais deficiências. A partidarização das entidades desmobiliza e enfraquece o Movimento Popular. Elas devem ser apartidárias, pois sua missão é organizar e conscientizar a sociedade, pertencentes as mais variadas tendências políticas e religiosas. São muitos os partido políticos, porém a relação destes com o movimento popular e social difere bastante.

     

    Precisamos romper com a cultura de que o movimento tem um papel secundário nas transformações sociais. O Movimento Popular Socialista do PSB proporciona debates sobre os efeitos de uma política econômica e social injusta e desumana e suas causas, bem como debates com técnicos em habitação, saneamento, educação, saúde, administração pública, etc. Neste sentido, entendemos, que o movimento popular tem potencialidades para desempenhar um importante papel na construção do senso crítico dos cidadãos.

     

    Conscientes de que os problemas sociais e econômicos somente serão resolvidos com a organização, a união, a mobilização e a luta de todos, o PSB se organiza na luta popular através do MPS para dar sustentação as reivindicações das camadas menos favorecidas da sociedade.

    Total de artigos: 10
  • Negritude Socialista Brasileira
     

    Negritude Socialista Brasileira - Igualdade e Justiça Social

    Companheiros Dirigentes Municipais,

    Estamos reorganizando o Movimento Negro Socialista no Rio Grande do Sul e para tanto, solicitamos sua cooperação através do envio de informações acerca de seu município. Ao responder a estas perguntas você estará ajudando na melhoria da organização partidária no nosso estado.

    1) Existe o Movimento Negro no seu Município?
    2) Qual é a participação do PSB?
    3) O nosso partido tem núcleo de negros organizados?
    4) No município temos filiados negros?
    5) Qual o percentual de negros no município?

    Envie estas Informações para Luiz Mattozo, na Sede Estadual do PSB, em Porto Alegre, por correio, por telefone ou e-mail:

    Fone: 51 3211 3900 E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

    Luiz Carlos Mattozo
    Coordenação Nacional do Movimento Negro Socialista

    Total de artigos: 20
  • Mulheres Socialistas

    Secretaria Estadual de Mulheres do PSB/RS

    Rua Barros Cassal, 288 - Bairro Floresta

    CEP 90035-030 - Fone/Fax: (51) 32113900

    E-mail - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

     

    As Mulheres e a construção de uma nova sociedade

    Se pensarmos nos espaços que, progressiva e crescentemente, a mulher vem ocupando na sociedade, temos que reconhecer o quanto caminhamos. Mas esta constatação precisa ser tão somente um alento para prosseguirmos em uma estrada que apresenta muito chão pela frente. Há ainda muito que caminhar, há muitas injustiças por desfazer.

    Historicamente, a sociedade se organizou sobre pilares machistas, onde as mulheres foram relegadas a papéis secundários e, mesmo quando foram protagonistas de fatos importantes, a história oficial omitiu.

    Não podemos pensar em um novo modelo de sociedade sem olhar para a especificidade da situação da mulher, que é na maioria das vezes pobre, além de discriminada.

    Atualmente, as mulheres representam 51% da população mundial, são, no entanto, 2/3 dos pobres no mundo e também dos analfabetos.

    A construção dessa nova sociedade que defendemos e queremos deverá passar, necessariamente, pela nossa ocupação nos espaços políticos, nas instâncias de decisão. É preciso fazer política e ocupar posições de poder em todos os cantos, no âmbito do Estado e da sociedade civil organizada. É importante que nós mulheres estejamos presentes, também, nas direções dos movimentos e das organizações, contribuindo para dar um norte, participando da gestão social do espaço público, do que é de todos, da coletividade.

    É importante, também, afirmar valores de liberdade, solidariedade, respeito às diferenças; relações de diálogo e de transparência. Enfim, afirmar relações diferentes na política.

    Antes de tudo, porém, é fundamental desejar mudanças, construir projetos de novos cenários e se dispor a concretizá-los. A nossa luta é pela igualdade de direitos e de oportunidades.

     

    Total de artigos: 14

Produção, desenvolvimento e manutenção: